Terça-feira, 18 de Dezembro de 2007

Os sete

São sete, são sete.
nas profundezas do Oceano, são sete,
obedece, no céu são sete,
nas profundezas do Oceano, nas Moradas,
cresceram!

Não são machos nem fêmeas,
são os que despertam a tempestade,
não possuem mulheres, não geram filhos,
não sabem de piedade ou misericórdia,
não escutam preces nem súplicas,
são cavalos que cresceram na montanha,
são os inimigos de Ea,
os guzalû dos deuses,
para destruírem o caminho mantêm-se nas ruas,
são maus, são maus,

são sete, são sete, são duas vezes sete.
Em nome do céu os exorcizamos,
em nome da terra os exorcizamos.

Mesopotâmia (c. 2000 a.c.=
Rosa do Mundo - 2001 Poemas para o Futuro
(tradução de Maria Jorge Vilar de Figueiredo)
publicado por amigogaspar às 20:39
| comentar | favorito

.mais sobre nós

. 10/52

. 9/52

. 8/52

. 7/52

. 6/52

. 5/52

. 4/52

. Enquanto houver ventos e ...

. 3/52

. 2/52

.arquivos

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.pesquisar

.arquivos

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Abril 2009

. Outubro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds